UA-51071411-1
Ao Meu Amigo Roberto Gómez Bolaños

Ao Meu Amigo Roberto Gómez Bolaños

Assim como eu hoje no dia 28 de novembro de 2014, milhões de pessoas sentiram um aperto no peito e aquela sensação profunda de perda em nossos corações. Isso porque as 14h30 (no horário do México)  Roberto Gómez Bolaños nós deixava e pela primeira vez nos fazia chorar…

Tantas recordações, que nos levam ao tempo mais puro de nossas vidas, as lembranças sagradas de uma infância doce e repleta do nosso “eu” em sua forma mais plena, sem maldade e verdadeiro. Mais como posso sentir a perda de alguém que jamais conheci ou conversei pessoalmente? E quem disse que não!?

Me lembro como se fosse ontem, eu lá no sofá esperando ansioso que o Chaves aparecesse na tela da minha humilde tv 14 polegadas quadrada e que chegava a me fazer forçar as vistas. Minha mãe gritando para que eu me preparasse para ir a escola, mais como começar o dia sem uma risada, sem uma trapalhada? Eu não podia.

Aquele menino simples que parecia morar do lado da minha casa, que parecia ser meu amigo e que me fez querer trocar minha cama por um barril. Com uma imaginação do tamanho da minha, oras agente até dividia o mesmo herói!

E que herói, sempre munido de boas intenções e bondade, conseguia salvar o dia depois de muita confusão. Ele sempre sabia o que fazer, sempre sentia o perigo antes que ele se aproximasse e seus movimentos eram friamente calculados. O seu emblema não podia ser outro, não podia ser um morcego ou um S no peito. Porque ele carregava consigo uma mensagem, uma mensagem que definia o próprio Chespírito, que não importa seu tamanho ou quanto pareça que você não é capaz… Porque com uma grande vontade e com um grande coração, até o menor dos homens se transforma em um gigante diante dos problemas!

Ah Roberto Bolaños, como fará falta sua maneira de tocar as pessoas, de fazer rir sem ser apelativo e de nós devolver pureza através do seu humor em sua forma mais pura, o humor.

As grandes pessoas conseguem nos tocar sem sua presença física, porque conseguem levar seu espírito, sua energia e uma mensagem a distância. Você através do humor nos fez refletir, criticou e nos fez sorrir, por isso Chespírito peço desculpas se me sinto triste mesmo tendo nos deixado tanto. De ter compartilhado sua própria alma na forma de suas histórias, piadas e personagens…

Vá fazer mais sorrisos onde quer que tenha ido meu amigo de infância e se chorei, foi sem querer querendo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.