Aprenda Como Desenhar Árvores


 Nesse artigo sobre árvores, você vai saber e aprender, com detalhes passo a passo como desenhar árvores. Então é só estudar e praticar, para depois dominar perfeitamente o desenho de uma árvore.

 Lembrando que em nossa página no Facebook, você pode fazer seus pedidos de tutoriais, além é claro, de saber em primeira mão das nossas novidades. 

 Agora, vamos a aula:


 Começando com o desenho de árvores, o ideal é fazer um esboço bem rápido e simplificado, pensando na forma do tronco e no tipo de copa, além das outras características da árvore tais como tipo de folhagem etc.
Observar do natural é um dos melhores tipos de aprendizagem.



 Pensando agora na copa desta árvore lembre-se que as folhagens encobrem alguns galhos, aproximam-se em certos pontos do observador e distanciam-se em outros.
Além disso, encobrem circularmente o tronco e os galhos.
É importante notar que isso não poderá da ideia de tridimensionalidade ao desenho da copa. No desenho ao lado, procure fazer uma numeração relacionando esses números as posições das folhagens no que desrespeito á proximidade e ao afastamento destas do observador :
A regra é: Quanto maior o numero, maior a distancia.



 Aqui, temos um exemplo de como utilizar as formas geométricas simples nos esboços dos desenhos de árvores e também da utilização dessas formas em diversos tipos de perspectiva. Treine bem isso até sentir-se capaz de fazer bem sem utilizar desses esquemas.


 Os troncos das árvores variam muito, por isso é bom estudar com calma que está desenhando. Normalmente, troncos arredondados devem ser esboçados a partir de ovais_como na fig. 1, 2 e 3_tanto nos troncos como nos galhos.
Outros tipos de troncos são circulares, com a superfície mais achatadas, e grandes rachaduras. Esses podem ser esquematizados como na fig. 3. Na fig. 4 temos o exemplo de um tronco bem arredondado (um coqueiro) com utilização de ovais, que são a base do esboço, sombreado e dos detalhes da textura.



Quando for desenhar troncos ou galhos de árvores, cuidado para que não sigam uma linha reta, como na fig. 1. Utilizando setas negras e brancas, procurei mostrar na fig. 2 e 3, como devem ser traçados para que dêm a ideia que estão posicionados em várias posições. Procure fazer o mesmo com os seus e conseguirá um aspecto bem mais natural no seu trabalho.



Nestas figuras temos alguns tipos de árvores e como foram esboçadas até chegarem na forma final do desenho. Seguindo esse mesmo esquema de trabalho, você conseguirá bons resultados.




Agora podemos ver, através desses exemplo, como se constrói gradualmente o desenho de uma árvore. Primeiro, traçamos sua forma básica dando atenção as suas proporções; em seguida, decidimos o que deve ser finalizado e tiramos detalhes desnecessários; por fim fazemos o acabamento com lápis, ou outro material, definindo todas as características da árvore.



É imprescindível que você estude e conheça as diferentes formas de folhagens para desenha-las corretamente. Nesta imagem, apresentamos alguns exemplos de como podem se diferenciar e de como é preciso ater-se as pequenas diferenças entre elas.



 Neste outro desenho foi criada uma escala de tons _ do preto ao branco _ para ser usada no sombreamento. É muito importante, quando se trabalha massas de sombras e tons intermediários, a utilização de uma escala tonal.  Com ela, podemos representar os diversos tons de cinza resultantes de um desenho em preto e branco que não seja de “auto-contraste”.
 Tom é uma medida de claro e escuro. Entre o preto (sombra intensa) e o branco (luz intensa) existe uma infinidade de tons, mais devemos simplificá-los, e trabalhar com quatro ou seis que é o ideal. No exemplo ao lado, foram utilizados somente quatro. Observe onde foram aplicados seguindo a indicação das setas. O desenho foi realizado com um lápis 5B, de ponta grossa.